Logo BCM.
Banner – Anuncie Aqui- 970×250 | CENSURA ZERO  

Pesquisadores chineses clonaram com sucesso três super bovinos

 (Crédito: Public Domain Pictures)
Crédito: Public Domain Pictures

Os cientistas da Universidade de Ciências e Tecnologias da Agricultura e Silvicultura da China anunciaram que conseguiram clonar com êxito três “super vacas” leiteiras. Esta espécie de bovino é capaz de produzir 18 toneladas de leite por ano, podendo chegar até a produzir 100 toneladas ao longo da vida. Isto corresponde a 170% acima da média gerada pelos mesmos animais nos Estados Unidos, de acordo com dados do país.

Para os pesquisadores este progresso científico significa que a China irá poder reduzir a dependência dos países estrangeiros, uma vez que 70% das vacas do território para a produção de laticínios são importadas. “O nascimento das super vacas é um avanço que permitirá à China preservar os animais mais produtivos de uma forma economicamente viável. Serão precisos de dois a três anos para construir uma manada de mais de mil super vacas como uma base sólida para alterar a dependência chinesa de vacas leiteiras estrangeiras, que ajudará também a contornar qualquer risco de ruptura do abastecimento”, considerou Jin Yaping, o cientista a frente do projeto.

Segundo os veículos de comunicação chineses, os bovinos nasceram na região de Ningxia, na China, no dia 23 de janeiro, um pouco antes do Ano Novo Lunar. “Criamos 120 embriões clonados através das células das orelhas de vacas da raça Holstein Friesian, altamente produtivas e originárias dos Países Baixos, e implantamos em outras vacas”, explicou Yaping.

A China tem feito significativos progressos na clonagem de animais e no ano passado uma empresa criou o primeiro lobo-do-ártico do mundo. Mas também em diversos países estão sendo criados clones de animais convencionais para acrescentar determinadas características, relacionadas com a elevada produção de leite ou resistência a doenças.

Por: Colaboração Isabel Alvarez – RIO (RJ)

Leave a Comment