Logo BCM.
Banner – Anuncie Aqui- 970×250 | CENSURA ZERO  

Para militares, Bolsonaro chorou por perceber, em evento, que está sozinho no golpismo

‘A ficha caiu’, diz um aliado que esteve com o presidente numa cerimônia de promoção de oficiais na segunda-feira (6).

Presidente Jair Bolsonaro (PL) durante cerimônia de promoção de oficiais na segunda-feira (5) em Brasília. — Foto: Reprodução/TVBrasil
Foto: Reprodução/TVBrasil

“A ficha caiu”. Foi assim que militares que estiveram com Jair Bolsonaro (PL) na segunda-feira (5) num almoço traduziram ao blog o choro do presidente durante cerimônia de promoção de oficiais.

Mas não é a ficha da derrota nas urnas, avaliam. O presidente já assimilou a vitória de Lula (PT).

O que Bolsonaro ainda gostaria é de contar com um roteiro usando, por exemplo, a imagem de Forças Armadas como sócia em qualquer projeto de tumulto democrático: de contestação do resultado das eleições a bloqueios na posse do presidente eleito de Lula.

Mas, na segunda, ficou claro que, se bolsonaristas o quiserem, será um projeto solo.

Durante o evento com os militares, Bolsonaro não viu nenhuma sinalização de que teria respaldo da caserna para a aventura golpista. Isolado, entrou mudo e saiu praticamente calado.

“Bolsonaro está diferente dele mesmo. Não interagiu, não brincou. Não me lembro nos últimos quatro anos de vê-lo introspectivo assim”, comentou um militar que esteve no evento.

Mesmo militares aliados avaliam que o presidente está isolado, cercado apenas pelo seu núcleo original, formado de integrantes do que ficou conhecido por gabinete do ódio.

“Bolsonaro não tem assessor, tem claque, tem plateia. Essa plateia fala o que ele quer ouvir, não fala a verdade. Então, ele se isola”, diz esse militar.

Por: G1

Leave a Comment