Logo BCM.
Banner – Anuncie Aqui- 970×250 | CENSURA ZERO  

Hospital da Restauração tem mais um vazamento e parte do forro de gesso do teto cede na entrada da emergência

https://s2.glbimg.com/bfGUY6HnE8RJqD4yl2KTqN42s6Y=/0x0:1920x1080/984x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2022/I/O/aF8H5HTre9rM2KMVVu2w/hospital.jpg

Parte do forro de gesso do teto da entrada da emergência do Hospital da Restauração (HR) cedeu nesta quarta-feira (23) após acontecer um novo vazamento na unidade de saúde localizada no bairro do Derby, na área central do Recife. Segundo a direção do local, ninguém ficou ferido, mas os sistemas de telefonia e internet foram afetados.

O HR, que é o maior hospital da rede estadual de saúde, vem apresentando problemas estruturais, com outros casos similares registrados nos últimos meses. Dessa vez, o problema foi causado pelo rompimento da tampa de uma tubulação no segundo andar da unidade.

Vídeos das redes sociais mostram a quantidade de água que vazava pelo teto da entrada de emergência do HR. O atendimento não foi interrompido, mas um aviso em um cartaz indicou que a entrada da emergência de trauma foi transferida para a recepção da pediatria.

O diretor do HR, Miguel Arcanjo, explicou que é por esse local que entram as vítimas socorridas pelo Corpo de Bombeiros e por ambulâncias de várias cidades chegam ao hospital. Segundo ele, não havia pacientes no momento do vazamento, por volta das 7h, apenas funcionários da recepção.

“Só tinham os nossos funcionários que ficam na parte de dentro do hospital”, declarou Miguel Arcanjo, acrescentando que foram feitas vistorias no entorno para verificar possíveis riscos.

Ele também afirmou que o conserto dos sistemas afetados pela água foi iniciado ainda no turno da manhã. Por volta das 9h, operários recolocavam os pedaços de gesso e não havia mais registro de vazamento.

Miguel Arcanjo afirmou que não houve prejuízo para os pacientes e que a gestão tem buscado resolver todos os problemas que surgem.

“A gente faz tudo o que pode. Está sendo feita manutenção sim, mas imagine trocar o pneu do carro com ele andando a 200 quilômetros por hora. Nós atendemos o estado todo”, disse o diretor do hospital.

Leave a Comment