Logo BCM.

Presidente da Câmara de Vereadores de Iguaracy emite “Nota de Repúdio” contra a Neoenergia Pernambuco

O presidente da Câmara de Vereadores de Iguaracy, Francisco Torres Martins (Chico Torres), emitiu uma “Nota de Repúdio” contra a Neoenergia Pernambuco (antiga Celpe). “Tendo em vista as oscilações e queda de energia que afeta toda a cadeia produtiva no município, tem causado inúmeros danos e prejuízos aos empresários, agropecuaristas, comerciantes e principalmente a população local”, diz o texto da nota do presidente.

Não é só o município de Iguaracy que tem sofrido com os problemas causados pela falta de energia. Diversas cidades do Sertão do Pajeú tem se revoltado com os descasos da Companhia Energética de Pernambuco. O que mais revolta a população prejudicada é a falta de informações da Neoenergia, e quando aparece uma justificativa para o injustificável são sempre desconectas.

Na Nota de Repúdio o vereador cita que nas residências, a população prejudicada perde o essencial, que são os alimentos estocados em refrigeração. Com as oscilações e a queda de energia muitos eletrodomésticos são queimados, ficando os moradores no prejuízo.

“O mais revoltante é a demora no atendimento dessa Companhia. O restabelecimento da energia, após os moradores abrirem os chamados para a empresa relatando os casos, é de uma demora sem fim. Estamos fazendo a nossa parte em denunciar através da Câmara Municipal, agora outras autoridades tem que chamar a Neoenergia Pernambuco à responsabilidade”, disse o vereador Chico Torres.

Presidente do PT de Afogados da Ingazeira, rebate nota do petista sobre a reunião do diretório

Recebi com indignação a nota que um membro do diretório municipal do PT de Afogados da Ingazeira enviou à alguns veículos de  comunicação deste município sobre uma reunião entre PT e PV, partidos que compõem a federação.

Nesta reunião todos os pré-candidatos expressaram suas opiniões que eram contrárias a deste membro e com isso gerou sua revolta. Em sua nota, ele claramente direciona sua revolta à mim e eu não era a única pessoa contrária a sua opinião e sim todo o grupo de pré-candidatos que estavam sendo ouvidos.

Esse é mais um episódio de violência de gênero pelo fato de que eu sou uma mulher pré-candidata, presidente do Partido dos Trabalhadores de Afogados da Ingazeira. Única mulher que assume atualmente um partido político nesta cidade.

Afirmo que não tenho nada contra Cesar Tenório e Luiz Besourão, por eles tenho amizade e admiração pelos seus serviços prestados ao município, pelo contrário da nota que dá pra entender que eu não os aceitei, afirmo que no diretório municipal temos sete membros e todos tem direito ao voto e eu só tenho um voto, não tenho o direito de barrar ninguém, por isso, pedi ao diretório que ouvissem os pré-candidatos e analisassem antes de uma votação e assim foi feito. A etapa de votação ainda não tinha nem data marcada e eu respeito a democracia e respeito a decisão que a maioria tomar.

Espero que episódios como esse não se repita ao expor assuntos internos que ainda não tinha sido resolvido entre os partidos e assim prejudicar nomes de candidatos que podem vim a serem candidatos nesta federação.

Mônica Souto
Presidente do Partido dos Trabalhadores

Bolsonaro depõe a Polícia Federal nesta terça (27) sobre importunação a baleia

O advogado do ex-presidente, Fabio Wajngarten, também foi intimado a depor (Crédito: Reprodução/Redes sociais)
O advogado do ex-presidente, Fabio Wajngarten, também foi intimado a depor (Crédito: Reprodução/Redes sociais)

Depoimento de Bolsonaro seria no início do mês em São Sebastião, no litoral norte de SP, mas teve data e local alterados pela PF

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) depõe à Polícia Federal (PF) na tarde desta terça-feira (26/2) em inquérito que o investiga por supostamente ter importunado uma baleia-jubarte no litoral norte paulista, em junho do ano passado.

O depoimento foi marcado para iniciar às 14h30 na Superintendência da PF de São Paulo, no bairro da Lapa, zona oeste da capital. Bolsonaro está desde o fim de semana hospedado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista e residência oficial do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), seu afilhado político.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Bolsonaro circulou de jet-ski a cerca de 15 metros de uma baleia durante viagem a São Sebastião.

Confira a matéria completa no Metrópoles

Por: Metrópoles

Anistia desejada por Bolsonaro tem poucas chances de avançar; entenda

Cercado de apoiadores e ao lado da mulher, Michelle, Bolsonaro teria dado mais elementos que podem piorar sua situação nos inquéritos da PF (crédito: Nelson Almeida/AFP)
Cercado de apoiadores e ao lado da mulher, Michelle, Bolsonaro teria dado mais elementos que podem piorar sua situação nos inquéritos da PF (crédito: Nelson Almeida/AFP)

Lideranças no Congresso avaliam que não há condições para a aprovação de um PL que libere os envolvidos em episódios golpistas. Ex-presidente fez pedido durante o ato na Avenida Paulista, no domingo

A proposta de um projeto de anistia aos envolvidos na tentativa de golpe de Estado em 8 de janeiro de 2023 e no vídeo da reunião ministerial de 5 de julho de 2022, feita pelo ex-presidente Jair Bolsonaro na manifestação de domingo, na Avenida Paulista, tem poucas chances de avançar no Congresso. Lideranças ouvidas pelo Correio, que preferiram não se identificar, deixaram claro que não há condições políticas para aprovar um texto dessa natureza.

Segundo essas lideranças, são reduzias as possibilidades de um projeto de lei sobre avançar por causa de alguns fatores. O primeiro é que este ano é eleitoral — em outubro haverá o pleito municipal em todas as unidades da Federação, exceto no Distrito Federal — e “não tem clima para isso”, sentenciou um parlamentar. Outro aspecto é que pesquisas de opinião vêm mostrando que a maioria da população condena os atos de vandalismo dos bolsonaristas de 8 de janeiro de 2023. Também pesa contra um PL de anistia quem seriam os principais beneficiados — a princípio, o próprio Bolsonaro, militares que apoiaram o rompimento da normalidade democrática, além de financiadores e estimuladores da invasão às sedes dos Três Poderes.

Do alto do carro de som, na Paulista, Bolsonaro pediu “uma anistia para os pobres coitados que estão presos em Brasília. Nós não queremos mais que seus filhos sejam órfãos de pais vivos. Há conciliação, nós já anistiamos no passado quem fez barbaridades no Brasil. Agora, pedimos a todos os 513 deputados e 81 senadores um projeto de anistia para que seja feita justiça em nosso Brasil”. Única voz no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a comentar a manifestação de domingo, o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, observou que “talvez seja a primeira vez na história que uma pessoa que cometeu atos criminosos chama um evento em praça pública, e lá, na praça pública, na frente da multidão, confessa o crime e vai além: pede perdão, pede anistia. É algo inusitado, para ficar registrado na história”.

Para o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Alberto Carlos Almeida, mesmo que Bolsonaro tente encampar a bandeira de uma anistia, não deve ter êxito. “Pode tentar, mas não há como aprovar”, afirma.

Seis projetos no sentido de anistiar os envolvidos nas tentativas de golpe correm na Câmara e dois, no Senado. Nas duas casas, têm como principal barreira parlamentares da base do governo.

Na Câmara, exceto o texto elaborado por Marcelo Crivella (Republicanos-RJ), os demais são de autoria de parlamentares do PL — partido do ex-presidente. Entre os deputados, o entrave é a relatoria entregue a Sâmia Bomfim (PSol-SP), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

No Senado, uma das propostas é de Hamilton Mourão (Republicanos-RS) e outra, de Márcio Bittar (União-AC). O texto do ex-vice-presidente do governo Bolsonaro está na Comissão de Defesa da Democracia, presidida pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA), que escolheu para relatá-lo o petista Humberto Costa (PE).

Mourão, aliás, protocolou, ontem, uma consulta pública sobre a anistia aos golpistas. Em 8 de fevereiro, quando foi desfechada, pela PF, a Operação Tempus Veritatis o senador fez um discurso da tribuna quando no qual pedia que as Forças Armadas reagissem a “arbítrios” e “processos ilegais” que o STF estaria cometendo contra militares — que foram alvo da ação dos investigadores.

Reconvocação

O discurso de Bolsonaro no ato de domingo pode piorar a situação do ex-presidente nos inquéritos que correm na Polícia Federal (PF). Quando disse que “agora o golpe é porque tem uma minuta do decreto de estado de defesa”, há quem considere que ele cogitou essa possibilidade sem que houvesse as condições constitucionais para tal.

“O resultado que ele espera, que não seja condenado, que não seja preso — a manifestação não foi efetiva sobre isso. Não parece ter ajudado. Há até evidências contrárias, de que ele admitiu a tentativa de golpe”, salientou Alberto Carlos Almeida.

O ministro Rui Costa fez uma avaliação semelhante. “Apenas uma surpresa. No que se refere ao conteúdo, com a confissão dos crimes praticados”, observou.

As informações são do Correio Braziliense.

Lula viajará para reuniões com países da América Latina e do Caribe

Na quarta-feira, Lula retoma agenda externa com lideranças da América Latina e do Caribe  (Crédito: Ricardo Stuckert/PR
)
Na quarta-feira, Lula retoma agenda externa com lideranças da América Latina e do Caribe (Crédito: Ricardo Stuckert/PR )

Presidente se reunirá com representantes da América Latina e do Caribe em dois encontros nesta semana. O combate à fome e a redução das desigualdades estão entre as pautas a serem defendidas pelo chefe do Executivo nas conferências

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará continuidade nesta semana à sua agenda internacional, poucos dias depois de voltar do continente africano. Na quarta-feira (28/02), irá a Georgetown, capital da Guiana, onde participa como convidado do encerramento da 46ª Cúpula de Chefes de Governo da Caricom, a Comunidade do Caribe. Na quinta, Lula embarca para Kingstown, capital de São Vicente e Granadinas, onde marca presença sexta-feira na 8ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos, a Celac.

Os dois compromissos visam ampliar a integração regional, uma das prioridades estabelecidas por Lula para a diplomacia. A expectativa é que o presidente trate da relação comercial com os integrantes das cúpulas e de temas comuns para a região, como o combate à fome e à pobreza. Apesar de a visita à Guiana ocorrer em meio à disputa com a Venezuela pela região de Essequibo, o Itamaraty destacou que não há previsão de que o presidente discuta diretamente o tema.

Os detalhes da viagem foram informados durante o briefing do Itamaraty na sexta-feira. A decolagem de Lula ainda não está marcada, mas deve ocorrer na manhã de quarta, já que o voo para Georgetown é de apenas três horas e meia. A Caricom reúne 15 países e é uma das organizações de integração regional mais antigas do mundo. Para a embaixadora Gisela Padovan, secretária de América Latina do Ministério das Relações Exteriores, o diálogo com o bloco é estratégico para a posição brasileira, uma vez que os países representam 7% das cadeiras na Organização das Nações Unidas (ONU) e 40% da Organização dos Estados Americanos (OEA).

“Nós temos afinidades históricas, étnicas e culturais que nos aproximam naturalmente dos países da região”, disse a embaixadora. Ela anunciou que Lula deve ter uma reunião bilateral com o presidente da Guiana, Irfaan Ali. O país ganhou importância comercial considerável após a descoberta recente de reservas de petróleo e gás. Entre 2021 e 2023, a economia saltou 400%, de US$ 8 bilhões para mais de US$ 40 bilhões.

Leia mais

Sem citar nomes, Bolsonaro critica STF, Lula e urnas em discurso na Paulista

 (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

O ex-presidente evitou falar diretamente sobre a Suprema Corte, mas alegou que ”alguns” estão cometendo ”abusos” e se referiu à derrota nas eleições como ”aquela coisa”

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) e a defender o voto auditável em discurso durante ato na avenida Paulista, em São Paulo, na tarde deste domingo (25/2). Sem citar nomes ou se referir diretamente à Suprema Corte, o ex-chefe do Executivo disse que ”abusos” estão sendo cometidos por ”alguns” e defendeu maior ”transparência” nas eleições.

No discurso, Bolsonaro falou sobre os quatro anos que esteve à frente do Palácio do Planalto e disse que a derrota nas eleições presidenciais de 2022 — quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito com 50,9% dos votos válidos —, é ”página virada”. ”Aquela coisa que aconteceu em outubro de 2022 vamos considerar uma página virada na nossa história, porque nós sabemos o que precisa ser feito no futuro para que todos não tenham dúvidas da transparência daquilo que nós devemos ter, em especial, quando se elege um representante nosso”, afirmou.

Bolsonaro ainda insinuou que Lula venceu as eleições ”sem torcida” e que ele governa ”sem o povo ao seu lado”. ”Nós podemos até ver um time de futebol sem torcida ser campeão, mas não conseguimos entender como existe um presidente sem o povo ao seu lado.”

”Nós não queremos o socialismo para o nosso Brasil, nós não podemos admitir o comunismo em nosso meio. Nós não queremos ideologia de gênero para os nosso filhos, nós queremos o respeito à propriedade privada, nós queremos o direito à defesa da própria vida, nós queremos o direito à vida desde a sua concepção, nós não queremos a liberação das drogas em nosso país, mas, para isso, nós devemos trabalhar todos os dias dentro de casa, no trabalho, com os vizinhos e com os amigos”, incentivou Bolsonaro. ”Nós sabemos o que foi o período de 2019 a 2022 e estamos conhecendo agora como está difícil vencer nesse país com quem nós temos a nos governar nesse momento”, completou.

Sobre o STF, o ex-presidente não citou nominalmente, mas, nas entrelinhas, afirmou que ”alguns” estão cometendo ”abusos”. ”Quando a gente fala sobre Estado Democrático de Direito, quando ele não é respeitado, aquela minoria fabrica órfãos de pais vivos. É lamentável o que vem acontecendo, o abuso por parte de alguns, que traz insegurança para todos nós”, alegou. ”Nós não podemos concordar que um poder tire do palco político quem quer que seja, a não ser que seja por um motivo extremamente justo. Não podemos pensar em ganhar as eleições afastando os opositores do cenário político”, destacou, em referência à inelegibilidade por oito anos, declarada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

”Após esse pronunciamento, a gente pede a Deus que ilumine a todos, até àqueles poucos, ou raros, que nós não gostamos, para que voltem a pensar com o coração, com a razão e nós possamos fazer com que o Brasil caminhe na sua marcha”, disse Bolsonaro. ”Nós sabemos o que deve ser feito no futuro para que o Brasil tenha um presidente que tenha Deus no coração, que ame a sua bandeira, que se emocione quando canta o Hino Nacional, que respeite a família brasileira e que ame, de verdade, o seu povo”, concluiu.

As informações são do Correio Braziliense.

Vídeo: apoiadores começam a lotar Av. Paulista em ato convocado por Bolsonaro.

Ato acontece na Avenida Paulista, no centro de São Paulo (foto: Reprodução )
Ato acontece na Avenida Paulista, no centro de São Paulo (foto: Reprodução )

Ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para este domingo (25) espera reunir 500 mil manifestantes na Avenida Paulista (SP)

Os apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) que participarão de ato em apoio ao ex-presidente começam a se concentrar no local marcado para o evento deste domingo (25), a Avenida Paulista, no centro de São Paulo (SP).

Imagens da área mostram a via lotada de pessoas vestidas com roupas nas cores verde-amarela e com bandeiras do Brasil ou até de Israel.

Ainda que a concentração tenha começado pela manhã, o ato está marcado para as 15h. O evento convocado pelo próprio ex-presidente ocorre em meio às investigações da Polícia Federal (PF) contra ele por possível tentativa de golpe de Estado.

Veja:

SAIDINHA TEMPORÁRIA: Saiba como votaram os senadores PERNAMBUCANOS

Senadores Pernambuco reforma tributária saidinha votos
Senadores de Pernambuco. Arte: Portal de Prefeitura

Proposta que proíbe a saída de presos em feriados foi aprovado com 62 votos a favor e dois contra.

O Senado Federal aprovou, por 62 votos favoráveis, dois votos contra e uma abstenção, um projeto de lei que proíbe a “saidinha”, benefício que permite a saída temporária de presos em datas comemorativas.

A matéria agora voltará para a Câmara dos Deputados, que terá que apreciar as emendas feitas ao texto antes de ele ser encaminhado para sanção ou veto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre os senadores pernambucanos, apenas Fernando Dueire (MDB) votou a favor da proposta. Teresa Leitão e Humberto Costa, ambos do PT, não compareceram a votação.

autorização é dada aos detentos que tenham cumprido ao menos um sexto da pena, no caso de primeira condenação, e um quarto, quando reincidentes.

As “saidinhas” ocorrem até cinco vezes por ano e não podem ultrapassar o período de sete dias.

Uma das alterações em relação ao texto que veio da Câmara foi proposta pelo senador Sérgio Moro (PL-PR).

Ele apresentou uma emenda ao relator da proposta, Flávio Bolsonaro (PL-RJ), para permitir o benefício aos presos que frequentarem cursos supletivos profissionalizantes, ensino médio ou superior. A emenda foi acatada por Flávio.

A proposta também prevê a exigência de exames criminológicos para a progressão de regime penal e o monitoramento eletrônico obrigatório dos detentos que passam para os regimes semiaberto e aberto. O exame avalia “autodisciplina, baixa periculosidade e senso de responsabilidade”.

Estadão Conteúdo

Governo do Estado apresenta data para mesa geral de negociação

O secretário da Casa Civil, Túlio Vilaça, com os deputados Eriberto Filho, Joel da Harpa, Gleide Ângelo, Mário Ricardo e Renato Antunes

O Governo de Pernambuco recebeu, nesta terça-feira (20), uma comissão formada por deputados estaduais para tratar sobre as demandas dos policiais civis do Estado.

No evento, o secretário da Casa Civil, Túlio Vilaça, afirmou que uma mesa geral de negociação será realizada na próxima terça-feira (27). Estiveram presentes os deputados Eriberto Filho, Joel da Harpa, Gleide Ângelo, Mário Ricardo e Renato Antunes.

Além da pauta salarial, o grupo também tratou sobre outras reivindicações da categoria como atualização do Plano de Cargos e Carreiras e a contratação de novos policiais, entre outros assuntos.

“Durante a reunião foram esclarecidos alguns pontos trazidos pelos deputados e apresentamos a data que acontecerá a mesa geral, onde será divulgado o calendário das mesas específicas de cada categoria. Hoje falamos de pautas que apresentadas não só pelo Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), como também pela Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe). O Governo de Pernambuco mantém o diálogo aberto com os servidores e a comissão da Assembleia também cumpre seu trabalho”, disse o secretário Túlio.

A gestão estadual havia divulgado edital de concurso para a Polícia Civil, com um total de 445 vagas em cargos de agente, escrivão e delegado. Um certame da Polícia Científica terá seu edital divulgado no primeiro semestre de 2024, com 214 vagas.

O deputado Renato Antunes destacou o encontro. “Essa comissão foi instituída para mediar e estamos satisfeitos porque já existe uma data para que toda a categoria seja ouvida. Esse encontro foi bem propositivo e Governo do Estado abre as portas para conversar, que é o que esperamos enquanto deputados. Saímos satisfeitos com esse diálogo que foi aberto e com a importância de a comissão alcançado seu objetivo”, disse o parlamentar.

Atrito entre Israel e Lula não afetará as relações comerciais entre as duas nações, diz Padilha

Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais
Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Ministro brasileiro também afirmou que a intenção do governo é expandir cada vez mais a cooperação com Israel

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, negou que o atrito entre o governo brasileiro e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, atrapalhe as relações comerciais entre as duas nações. “Temos uma cooperação sólida”, disse o ministro na noite desta segunda-feira, 19, em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura.

“Em nenhum momento estava na pauta qualquer rompimento de relações, pelo contrário, nós temos relações sólidas do Brasil com Israel que ultrapassam, inclusive, Netanyahu. Netanyahu é passageiro”, disse. O ministro também voltou a criticar o primeiro-ministro israelense em defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Se tem alguém isolado no mundo hoje é o Netanyahu, não o presidente Lula, se tem alguém isolado nas suas posições, nas suas práticas, é o Netanyahu, não o presidente Lula”.

O ministro brasileiro também afirmou que a intenção do governo é expandir cada vez mais a cooperação com Israel, pontuando que a administração Netanyahu é um “governo de ocasião”.

Atrito
Israel passou a considerar nesta segunda-feira, 19, o presidente Lula como “persona non grata” até que ele se desculpe pelas declarações comparando as ações do Exército israelense na Faixa de Gaza ao Holocausto.

A decisão foi informada ao embaixador do Brasil em Tel-Aviv, Frederico Meyer, no Museu do Holocausto, onde ele recebeu também uma aula sobre o genocídio cometido pelos nazistas contra 6 milhões de judeus. Sem sinal de distensão em Brasília, o governo brasileiro chamou Meyer de volta ao País.

O assessor para assuntos internacionais do presidente Lula e ex-chanceler, Celso Amorim, disse que não houve erro nenhum na fala do presidente.

Israel declara Lula “persona non grata” após comparação com Holocausto

Lula discursa no Egito
Reprodução/YouTube

“Não perdoaremos nem esqueceremos”, disse o chanceler Israel Katz, após fala de Lula que comparou a guerra na Faixa de Gaza ao Holocausto

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, afirmou nesta segunda-feira (19/2) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é “persona non grata” no país até que faça retratações. A declaração do diplomata repercutiu, mais uma vez, a fala do presidente da República no domingo (18/2), quando o mandatário comparou o desastre humanitário em Gaza ao Holocausto.

“Não perdoaremos nem esqueceremos. Em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel, informei ao presidente Lula que ele é ‘persona non grata’ em Israel até que ele peça desculpas e se retrate de suas palavras”, afirmou o diplomata em publicação no X — antigo Twitter.

A fala do presidente Lula abriu uma crise diplomática entre os dois países. Além do posicionamento público, o governo de Israel mudou o protocolo para encontros com diplomatas e representantes de nações estrangeiras.

A reunião com o embaixador do Brasil em Israel foi marcada no museu do Holocausto, em Jerusalém. Normalmente, o encontro aconteceria no Ministério das Relações Exteriores.

Israel havia convocado embaixador brasileiro para reprimenda

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, fez um forte pronunciamento contra as palavras de Lula e avisou ter chamado o embaixador brasileiro no país para uma reunião. Depois Katz detalhou que fará uma reprimenda a Daniel Zohar Zonshine (foto principal) nesta segunda-feira (19/2), no Museu do Holocausto Yad Vashem.

Leia mais

Eleições 2024: Carnaíba já tem 32 pré-candidatos a vereadores para as eleições deste ano

Trinta e dois é apenas uma média de número de candidatos a vereadores nas eleições deste ano na cidade de Carnaíba, no sertão Pernambucano, municipio que comporta quase 20 mil habitantes.

Dos nomes que haviam confirmado participar da disputa e já desistiram foi o ex vereador Preguinho e o suplente de vereador Bezeca. Até as convenções partidárias, novos nomes ainda poderão surgir e a lista de 32 nomes podem chegar a 50.

Até o momento, o grupo da situação liderado pelo prefeito Anchieta Patriota, que apresenta o empresário Berg Gomes como pré candidato a prefeito e Cicero Batista como vice, tem 16 nomes; Seninha, José Patriota que é filho do ex vereador Everaldo Patriota, o Sargento Lisboa Lima ou sua esposa, a ex vereadora Silvonete Carlos, o vice prefeito Junior de Mocinha, Nildinha de Duardo, o ex vereador Luiz Alberto que era oposição e agora se aliou de volta ao grupo de Anchieta Patriota, o ex vereador Jeovane Adriano, Nando Velho, o comerciante Irmão Neném que também era de oposição e hoje soma com o grupo da situação, o secretário de obras Tiago Arruda e a ex secretária de Assistência Social Janiele Mabele, além dos vereadores Alex Mendes, Antônio Venâncio, Calango, Zé Ivan e Izaquele Ribeiro que buscarão a reeleição.

Já pelo grupo de oposição, liderado pela empresária Ilma Valério pré candidata a prefeita e Gleybson Martins pré candidato a vice, o número de pré candidatos também soma-se 16 nomes. Além dos vereadores Neudo da Itã, Vanderbio Quixabeira, Matheus Francisco, Juniano Ângelo e Irmão Paulinho que buscam a reeleição, aparecem os nomes de Nandinho de Ibitiranga que pode desistir na pré candidatura para apoiar Juniano Ângelo,  o Sargento Eder Praxedes, Nadson Pulça, Dário do Leitão, o ex vereador Anchieta Crente que é um dos mais cotados à vencer as eleições, Daniel de Joel, Clécio da Vidraçaria, Sonniery Azevedo, James Pereira, Noguinha de Ibitiranga e o suplente Missa de Lulu.

Com a cota de gênero, onde os partidos devem apresentar 30% de vagas para mulheres, o numero de candidatos vai aumentar. Até as eleições muitas águas ainda vão rolar e novos nomes ainda vão surgir.

Do Cauê Rodrigues

Bolsonaro pede a Moraes que reconsidere decisão que proibiu contato entre ele e Valdemar Neto

O ex-presidente Jair Bolsonaro pediu ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que reconsidere a decisão que o proibiu de manter contato com o presidente do PL, seu partido, Valdemar Costa Neto, no inquérito do golpe.

A medida é padrão em investigações criminais para evitar, por exemplo, tentativas de combinar versões ou de obstruir o trabalho da polícia.

Os advogados de Bolsonaro alegam, no entanto, que ele é o principal cabo eleitoral do partido e que a restrição prejudica as articulações para as eleições municipais de 2024.

O documento afirma que a decisão “compromete não apenas a atividade política partidária, mas também a essência do debate democrático”.

Além de vetar o contato direto entre os investigados na Operação Tempus Veritatis, Alexandre de Moraes também proibiu que eles conversem por meio de seus advogados.

O criminalista Marcelo Bessa, que coordenada a defesa de Bolsonaro em outras investigações no STF, renunciou nesta quinta-feira, 15, aos processos envolvendo o ex-presidente. Procurado pela reportagem, ele informou que não comentaria a saída.

O advogado atuava em inquéritos como o das milícias digitais, das fake news sobre vacinação e sobre o vazamento de dados do ataque hacker aos sistemas da Justiça Eleitoral. Ele será substituído pela advogada Luciana Lauria Lopes.

Bessa também representa Valdemar Costa Neto e permanecerá na defesa do presidente do PL.

A decisão de deixar os processos de Bolsonaro estaria relacionada ao impedimento imposto por Moraes no inquérito do golpe.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) afirma que a decisão do ministro do STF de impedir o contato dos advogados viola as prerrogativas da classe e o direito de defesa dos investigados. A entidade acionou o STF para tentar reverter a restrição.

A defesa do ex-presidente também questiona a atuação de Moraes. Os advogados pediram que o inquérito seja redistribuído e que as decisões tomadas pelo ministro sejam anuladas por falta de imparcialidade.

A Polícia Federal (PF) descobriu que Moraes foi monitorado clandestinamente e que aliados próximos de Bolsonaro envolvidos na trama golpistas queriam a prisão do ministro.

A chance do recurso prosperar é pequena. O STF já validou a atuação de ministros em situações semelhantes, como no caso do ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ).

Lula chega ao Cairo para discutir guerra entre Israel e Hamas e assinar acordo na área de bioenergia

Ahmed Issa (à direita), Ministro do Turismo, recebe Lula no Cairo — Foto: PR
Ahmed Issa (à direita), Ministro do Turismo, recebe Lula no Cairo — Foto: PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou no Cairo, capital do Egito, pouco antes das 4h desta quarta-feira (14).

O Itamaraty informou na terça-feira (13) que, durante a viagem ao Egito, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá discutir com o presidente egípcio Abdel Fatah Al-Sisi a guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas, além de assinar um acordo na área de bioenergia.

Lula decolou em direção ao Egito por volta das 14h20 desta terça. A agenda oficial na cidade prevê compromissos públicos somente na próxima quinta-feira (15).

Este é o segundo giro de Lula por países da África desde que tomou posse como presidente da República. No ano passado, Lula passou por África do Sul, Angola e São Tomé e Príncipe. Nesta nova rodada de viagens, o presidente passará por Egito e Etiópia.

Na campanha eleitoral de 2022, Lula colocou entre as diretrizes do programa de governo a previsão de, se eleito, “reconstruir” as relações entre o Brasil e países africanos. Antecessor de Lula, Jair Bolsonaro não visitou países africanos durante o seu mandato (2019-2022).

Naquele ano, antes mesmo de ter tomado posse e na condição de presidente eleito, Lula esteve no Egito, a convite do governo local, para participar da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Egito

Segundo o Itamaraty, a agenda de Lula no Cairo, na próxima quinta, prevê duas reuniões com Al-Sisi, das quais uma privada (entre os dois e intérpretes) e uma ampliada (da qual costumam participar integrantes dos dois governos).

Leia mais

Polícia Federal vai na casa de Bolsonaro em Angra e ordena que ele entregue o passaporte

O ex-presidente Jair Bolsonaro estava em casa durannte a operação da PF (Crédito: Hugo Barreto/Metrópoles )
O ex-presidente Jair Bolsonaro estava em casa durannte a operação da PF (Crédito: Hugo Barreto/Metrópoles )

À coluna, Bolsonaro confirmou que PF foi até sua casa em Angra dos Reis para apreender seu passaporte e o celular de um assessor

O ex-presidente Jair Bolsonaro também foi alvo da Operação Tempus Veritatis, por meio da qual a Polícia Federal investiga organização criminosa que atuou na tentativa de “golpe de Estado” para mantê-lo no poder, após a derrota nas eleições de 2022.

À coluna, o próprio Bolsonaro confirmou que policiais federais foram até a sua casa de veraneio em Angra dos Reis (RJ), na manhã desta quinta-feira (8/2). Segundo o ex-presidente, a PF deu 24 horas para ele entregar o passaporte, que está guardado em Brasília.

Bolsonaro relatou que também foi alvo de medida cautelar restritira. De acordo com ele, o mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) o proíbe de ter contato com outros investigados pela operação, mesmo que por meio de advogados.

Confira a reportagem completa na coluna do Igor Gadelha do Metrópoles.

Por: Metrópoles

José Patriota critica iniciativa do Governo de Pernambuco sobre servidores cedidos

Na atividade parlamentar desta segunda-feira (5), na Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado estadual José Patriota fez críticas à recente movimentação do Governo Estadual em convocar de volta os servidores cedidos a outras instituições, incluindo prefeituras. Ex-presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), Patriota destacou a importância desses profissionais nos escalões técnicos municipais e reforçou a necessidade de diálogo efetivo entre o governo estadual e os municípios.

“Fico preocupado ao ver o Governo do Estado chamando de volta os servidores cedidos, especialmente quando muitas prefeituras do interior dependem desses profissionais em seus escalões técnicos para impulsionar o desenvolvimento local”, disse Patriota. O ex-prefeito de Afogados da Ingazeira também destacou a tradicional parceria entre entes, independentemente de alinhamentos partidários.

O deputado ainda reforçou a necessidade de um diálogo efetivo, alertando para o impacto nas gestões municipais que muitas vezes enfrentam desafios em garantir quadros capacitados. “Ainda há espaço para o diálogo, mas é preciso que ele saia do discurso e seja efetivamente posto em prática para fazer bem a Pernambuco e ao povo pernambucano”, concluiu.