Logo BCM.
Banner – Anuncie Aqui- 970×250 | CENSURA ZERO  

Carro novo mais barato do Brasil custa menos de R$ 60 mil após anúncio do governo

Renault Kwid Zen 2023Horas depois do governo publicar a Medida Provisória que dará descontos aos carros populares, o carro mais barato do Brasil, o Renault Kwid, ficou R$ 10 mil mais barato e agora parte de R$ 58.990 na versão Zen. Além da redução de R$ 8 mil anunciada pelo governo, a fabricante deu um bônus para aumentar o abatimento.

Vale lembrar que o Kwid custava R$ 68.990, mesmo preço do Fiat Mobi, que também terá desconto, mas ainda não foi anunciado. A fabricante de Betim (MG) afirma que está estudando o pacote do governo para anunciar os abatimentos em sua gama de veículos.

Conheça o Kwid

Sob o capô, o subcompacto da Renault é equipado com motor de três cilindros 1.0 que produz 71 cv e 10 kgfm. O câmbio é manual de cinco marchas. De acordo com o Inmetro, esse conjunto faz médias de 10,8 km/l na cidade e 11 km/l na estrada com etanol e 15,3 km/l na cidade e 15,7 km/l na estrada com gasolina.

O pequenino francês é o segundo menor carro do Brasil, com 3,68 m de comprimento. São 1,57 m de largura, 1,47 de altura e entre-eixos de 2,42 m. Já o porta-malas tem 290 litros de capacidade.

Equipamentos de série

O Kwid Zen oferece bons equipamentos de série: ar-condicionado, quadro de instrumentos de LED, vidros dianteiros elétricos, rádio, Bluetooth, entrada USB, sistema start-stop, DRLs de LED, quatro airbags, controle de estabilidade e tração, monitoramento de pressão dos pneus, controle de estabilidade e assistente de partida em rampa.

A central multimídia de 8″, função econômetro e entrada USB passam a equipar o Renault a partir da versão intermediária Intense.

Plano do governo

O governo federal anunciou na última segunda-feira (5) como funcionará o programa de incentivo à indústria automotiva. A expectativa, segundo o vice-presidente Geraldo Alckmin, é que os carros mais em conta tenham descontos de até R$ 8 mil sem baixar os impostos dos veículos.

Para pagar essa conta, o governo decidiu antecipar a reoneração do imposto sobre o diesel. Assim, em vez de aumentar os tributos em R$ 0,35 por litro apenas em 1º de janeiro de 2024, haverá um reajuste de R$ 0,11 por litro daqui a 90 dias para subsidiar a concessão de créditos tributários aos fabricantes de carros.

Segundo o governo, o crédito total é de R$ 1,5 bilhão, sendo R$ 500 milhões para carros populares, R$ 700 milhões para caminhões e R$ 300 milhões para vans e ônibus. Quando o crédito esgotar, o programa será encerrado.

Segundo Alckmin, os critérios para a contemplação dos créditos que variam entre R$ 2 mil e R$ 8 mil no preço final do veículo são os mesmos da antiga proposta:

preço (quanto menor, maior o desconto);

eficiência energética (quanto mais sustentável, maior o desconto);

densidade industrial (quanto maior o volume de peças nacionais, maior o desconto).

Leave a Comment